• Cientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”

    No Blog da Cidadania

    O cientista político Alberto Carlos Almeida é autor do livro “A Cabeça do Brasileiro” (Editora Record, 2007), que possui uma pesquisa reveladora e dados estatísticos de excepcional amplitude a respeito do perfil do brasileiro. Almeida é professor da Universidade Federal Fluminense.

    Publicou os livros “Por que Lula?” (Editora Record, 2006); “Como são Feitas as Pesquisas Eleitorais e de Opinião” (Editora FGV, 2002); e “Presidencialismo, Parlamentarismo e Crise Política no Brasil” (Eduff, 1998).

    Alberto Carlos Almeida possui doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ; foi pesquisador visitante na The London School of Economics; e coordenou as pesquisas eleitorais e de opinião do DataUff entre 1996 e 2002 e da Fundação Getúlio Vargas entre 2002 e 2005.

    Quer ler mais? Clique aquiCientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”


  • EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY

    O Cafezinho

    Por Mariana Noviello

    Dilma Rousseff esteve no Reino Unido na semana passada onde ela participou de um evento acadêmico o Brazil UK Forum, organizado pelos estudantes das prestigiadas universidades de Oxford e LSE, e também conversou com a mídia, mulheres na academia e na política.

    Talvez de maior relevância tenha sido o encontro de Dilma com a alta cúpula do Labour Party (Partido Trabalhista Britânico).

    Parlamentares trabalhistas não só prestaram solidariedade à Presidenta em relação ao impeachment e a Lula, mas também se mostraram preocupados com a democracia no Brasil.

    Emily Thornberry, portavoz do Partido em assuntos internacionais, twitou: “Hoje, tive a honra de me encontrar com Dilma Rousseff, ex-presidenta do Brasil. Discutimos como a democracia em seu país está comprometida”. EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY


  • O que Temer não disse sobre os 2 anos de governo

    GNN Notícias

    [...] A cerimônia teve início às 15h no Salão Nobre do Palácio do Planalto, mas antes mesmo já foi marcada por polêmicas. Após o deslize do título "O Brasil voltou, 20 anos em 2", e a repercussão negativa, o convite para ministros e autoridades veio com outra nomenclatura: "Maio/2016-Maio/2018: o Brasil voltou".

    Ostentou de maneira exacerbada que houve uma queda na inflação e redução da taxa de juros. Juntou os números para preparar a cartilha "Avançamos - 2 anos de vitórias na vida de cada brasileiro", que foi o período de sua atuação desde que assumiu com a derrubada da presidente eleita Dilma Rousseff.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 799 outros seguidores

  • Recomendo leitura

Lula é uma causa

Lula é uma causa senhoras e senhores, não um arremedo político.

lulalivreReprovo a tentativa de intelectuais contemporâneos querer intervir na subjetividade do outro. O amor é algo genuíno e não pode ser extraído como um dente ou uma unha encravada. Lula é uma instituição a ser defendida por petistas, lulistas e simpatizantes. Não o quer presidente não vote nele, mas não nos venha com esse papinho de perigo de culto à personalidade com o viés claro de nos empurrar outra candidatura “salvadora” lavajateana porque não abandonamos Lula e muito menos deixaremos de o amar. Isso é próprio dos covardes, não nosso.

Insisto: Ciro é um arrogante autoritário que flutua de acordo com a onda. Queria a direita do seu lado e atacou o PT. Sem a corja reacionária voltou a falar manso com a esquerda. Para nós do PT não há tergiversar: somos Lula ou quem ele indicar. Isso é sinônimo de lealdade, de solidariedade, companheirismo. Não entende isso? Problema seu, não nosso. Ciro só no segundo turno e depende muito de quem seria o outro. Isso se ele conseguir avançar além dos 5% de preferência dos eleitores. Temos duas outras excelentes opções antes do Ciro pra escolher e não precisamos dos argumentos de intelectuais nos ensinando abrir mão dos nossos princípios e sentimentos para “garantir” a Democracia.

Ademais, não estamos atrelando nosso destino ao destino de Lula. Estamos solidários à sua luta porque em determinado momento histórico ele esteve lá no front por nossas causas. Sua prisão, aliás, é fruto disso. Não nos venha falar dos democratas que se calaram ou se colocaram ao lado da Lava Jato. A democracia para eles não vai além dos seus próprios interesses e dessa democracia não compartilhamos. E não queiram nos chamar de tolos porque não o somos. Lula, pela luz da Lei, pode ser candidato e se candidato vai ser eleito. É o que dizem as pesquisas o sentimento geral do povo. Se, e somente se, o judiciário permanecer com a intransigente corrupção da Lei, em determinado momento teremos seu substituto e este substituto irá para o segundo turno, queiram ou não queiram vocês intelectuais.

Somos povo. Como povo pensamos de maneira solidária. Quando Lula começou a ser perseguido ele se tornou para nós uma causa e como causa não o abandonaremos como desejam alguns partidários de Ciro e outros da oportunistas na esquerda. Vamos demonstrar isso na campanha e nas urnas.  Por fim, Lula não é messiânico. Ele provou enquanto presidente que pode cuidar dos mais pobres. Sabe como fazer. Provou isso. É nisto que a grande maioria se agarra para continuar solidário em defesa de Lula, a nossa causa neste momento.