• Cientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”

    No Blog da Cidadania

    O cientista político Alberto Carlos Almeida é autor do livro “A Cabeça do Brasileiro” (Editora Record, 2007), que possui uma pesquisa reveladora e dados estatísticos de excepcional amplitude a respeito do perfil do brasileiro. Almeida é professor da Universidade Federal Fluminense.

    Publicou os livros “Por que Lula?” (Editora Record, 2006); “Como são Feitas as Pesquisas Eleitorais e de Opinião” (Editora FGV, 2002); e “Presidencialismo, Parlamentarismo e Crise Política no Brasil” (Eduff, 1998).

    Alberto Carlos Almeida possui doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ; foi pesquisador visitante na The London School of Economics; e coordenou as pesquisas eleitorais e de opinião do DataUff entre 1996 e 2002 e da Fundação Getúlio Vargas entre 2002 e 2005.

    Quer ler mais? Clique aquiCientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”


  • EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY

    O Cafezinho

    Por Mariana Noviello

    Dilma Rousseff esteve no Reino Unido na semana passada onde ela participou de um evento acadêmico o Brazil UK Forum, organizado pelos estudantes das prestigiadas universidades de Oxford e LSE, e também conversou com a mídia, mulheres na academia e na política.

    Talvez de maior relevância tenha sido o encontro de Dilma com a alta cúpula do Labour Party (Partido Trabalhista Britânico).

    Parlamentares trabalhistas não só prestaram solidariedade à Presidenta em relação ao impeachment e a Lula, mas também se mostraram preocupados com a democracia no Brasil.

    Emily Thornberry, portavoz do Partido em assuntos internacionais, twitou: “Hoje, tive a honra de me encontrar com Dilma Rousseff, ex-presidenta do Brasil. Discutimos como a democracia em seu país está comprometida”. EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY


  • O que Temer não disse sobre os 2 anos de governo

    GNN Notícias

    [...] A cerimônia teve início às 15h no Salão Nobre do Palácio do Planalto, mas antes mesmo já foi marcada por polêmicas. Após o deslize do título "O Brasil voltou, 20 anos em 2", e a repercussão negativa, o convite para ministros e autoridades veio com outra nomenclatura: "Maio/2016-Maio/2018: o Brasil voltou".

    Ostentou de maneira exacerbada que houve uma queda na inflação e redução da taxa de juros. Juntou os números para preparar a cartilha "Avançamos - 2 anos de vitórias na vida de cada brasileiro", que foi o período de sua atuação desde que assumiu com a derrubada da presidente eleita Dilma Rousseff.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 798 outros seguidores

  • Recomendo leitura

Imposto de Renda: o que o Jornal Nacional não informou

O jornal nacional de ontem (26/12) veiculou noticiário informando que muitos trabalhadores terão suas rendas melhoradas, o que é verdade, e informou também que muitos deles passarão a pagar Imposto de Renda, o que também é verdade, mas não explicou como isso se dá e deixou a impressão de que todos os trabalhadores que passarem a ganhar mais que R$ 1.710,78/mês passarão a pagar 7,5% (sete e meio por cento) do que recebe, o que não é verdade. Convidaram até um tributarista para falar a respeito e calcular o quanto um indivíduo que este ano ganha R$ 1.710,78/mês passará a ganhar ano que vem se corrigido pela inflação. O tributarista disse que o indivíduo passará a ganhar R$ 1.809,00/mês e é isto mesmo, só que ele não pagará sete e meio por cento desse valor de Imposto de Renda. Eu explico.

Segundo a Receita Federal  o indivíduo que ganha até R$ 1.710,78 estará isento. O que exceder esse valor até o limite de R$ 2.563,91/mês o indivíduo será tributado em sete e meio por cento, ou seja, quem passar a ganhar 1.809,00/mês será tributado sobre a diferença entre aquele valor e este, precisamente R$ 98,22/mês, o que equivale a R$ 7,37/mês. Isto considerando que o indivíduo não tem gastos com saúde, educação, serviços de profissionais liberais como advogados, dentistas etc., e também não tem dependentes (esposa ou cônjuge, filhos, enteados ou pais) porque para cada dependente o indivíduo pode abater R$ 179,71/mês do total que receber. Vamos fazer uma simulação (pode ser feito aqui):

Um indivíduo que vive só e não tem gastos com saúde, educação etc. só pagará IR do que exceder R$ 1710,78/mês.

Um indivíduo com esposa ou cônjuge e não tem gastos com saúde, educação etc. só pagará IR do que exceder R$ 1882,75/mês. Por exemplo, quem ganha R$ 2.100 mensais, descontado a dedução por seu/sua dependente, terá como base de cálculo do imposto o valor de R$ 1.908,23 e pagará 7,5% da diferença entre este valor e o limite de isenção, ou seja, de R$ 217,25 o que equivale a R$ 16,29/mês. Ele vai pagar dezesseis reais e vinte e nove centavos mensais de Imposto de Renda. R$ 16,29 equivale a aproximadamente 0,78% de R$ 2.100.

Se o indivíduo tiver esposa ou cônjuge e um filho e não tem gastos com saúde, educação etc. só pagará imposto do que exceder a R$ 2.054,72 mensais. Se ganhar R$ 2.100 mensais, por exemplo, só pagará 7,5% de R$ 45,28 mensais o que equivale a R$ 3,40 mensais. Um plano de saúde, por mais simples que seja, já o isenta de pagar Imposto de Renda.

Diante disto eu me pergunto: Willian Bonner (é o editor do JN, não é?) não informou corretamente sobre a tributação por ignorância ou por mau caratismo?

Eu concluo por dizer que a Rede Globo não informa corretamente o cidadão e tenta provocar pânico entre nós. Pratica um mau jornalismo e presta um desserviço ao país.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: