• Cientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”

    No Blog da Cidadania

    O cientista político Alberto Carlos Almeida é autor do livro “A Cabeça do Brasileiro” (Editora Record, 2007), que possui uma pesquisa reveladora e dados estatísticos de excepcional amplitude a respeito do perfil do brasileiro. Almeida é professor da Universidade Federal Fluminense.

    Publicou os livros “Por que Lula?” (Editora Record, 2006); “Como são Feitas as Pesquisas Eleitorais e de Opinião” (Editora FGV, 2002); e “Presidencialismo, Parlamentarismo e Crise Política no Brasil” (Eduff, 1998).

    Alberto Carlos Almeida possui doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ; foi pesquisador visitante na The London School of Economics; e coordenou as pesquisas eleitorais e de opinião do DataUff entre 1996 e 2002 e da Fundação Getúlio Vargas entre 2002 e 2005.

    Quer ler mais? Clique aquiCientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”


  • EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY

    O Cafezinho

    Por Mariana Noviello

    Dilma Rousseff esteve no Reino Unido na semana passada onde ela participou de um evento acadêmico o Brazil UK Forum, organizado pelos estudantes das prestigiadas universidades de Oxford e LSE, e também conversou com a mídia, mulheres na academia e na política.

    Talvez de maior relevância tenha sido o encontro de Dilma com a alta cúpula do Labour Party (Partido Trabalhista Britânico).

    Parlamentares trabalhistas não só prestaram solidariedade à Presidenta em relação ao impeachment e a Lula, mas também se mostraram preocupados com a democracia no Brasil.

    Emily Thornberry, portavoz do Partido em assuntos internacionais, twitou: “Hoje, tive a honra de me encontrar com Dilma Rousseff, ex-presidenta do Brasil. Discutimos como a democracia em seu país está comprometida”. EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY


  • O que Temer não disse sobre os 2 anos de governo

    GNN Notícias

    [...] A cerimônia teve início às 15h no Salão Nobre do Palácio do Planalto, mas antes mesmo já foi marcada por polêmicas. Após o deslize do título "O Brasil voltou, 20 anos em 2", e a repercussão negativa, o convite para ministros e autoridades veio com outra nomenclatura: "Maio/2016-Maio/2018: o Brasil voltou".

    Ostentou de maneira exacerbada que houve uma queda na inflação e redução da taxa de juros. Juntou os números para preparar a cartilha "Avançamos - 2 anos de vitórias na vida de cada brasileiro", que foi o período de sua atuação desde que assumiu com a derrubada da presidente eleita Dilma Rousseff.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 798 outros seguidores

  • Recomendo leitura

O Futuro do PT, em Queimados/RJ

Rildo Ferreira: foi candidato a presidente do PT pelo grupo Ação Crítica
Rildo Ferreira: foi candidato a presidente do PT
pelo grupo Ação Crítica

Antes de levar adiante o que tenho a dizer sobre o futuro do partido na minha cidade quero agradecer aos meus eleitores. Foram 148 valorosos colaboradores que não receberam ajuda pecuniária para saírem de suas casas em pleno domingo de sol para votar com as consciências de quem deseja um Partido dos Trabalhadores atuante e propositivo.  Muito obrigado mesmo!

Assim, abraço Marlene Antonio Rezende em nome de todas as mulheres que acreditaram no projeto de renovação e abraço o amigo Aroldo Cardoso Pereira em nome dos meus amigos trabalhadores que pensam um partido voltado para a militância.

Cumprimos nossa missão de provocar uma ação que levasse figuras eminentes a procurar o filiado para dizer que o partido existe. Entramos na disputa com a expectativa de 30%, sabíamos da nossa limitação. Saímos com 27,7%. Felizes e confiantes que possamos nos fortalecer.

Quanto ao futuro que nos espera é importante salientar que somos um grupo minoritário com o desejo de nos tornar maioria. Isto não é legítimo no processo democrático? Claro que é legítimo. Democracia é “a prerrogativa da maioria é governar. A minoria conserva o direito de fazer oposição e o de procurar tornar-se maioria. Ambas – maioria e minoria – não podem alterar, eliminar ou destruir as “regras do jogo”, as normas e processos pelos quais se chega livre e periodicamente à situação de maioria” (Macedo, Ubiratan Borges de. Liberalismo e Justiça Social. Ibrasa, São Paulo, 1995. p. 66). Dentro dessa lógica exigimos respeito.

Dos Santos (2007) diz em sua obra Governabilidade e Democracia Natural (FGV) que “as maiorias tendem a ser inercialmente conservadoras” e “se às minorias não for garantido o direito de operar conforme a inovação sugerida e tornar-se maioria…, a sociedade tende a estagnar-se“. Ora, se isto vale para governos de Estados e Nações porque não valer também como um conceito partidário?

E assim vamos nos comportar. Já em 2016 precisamos apoiar candidaturas a Deputado Estadual e a Deputado Federal que estejam de acordo com o nosso pensamento. Não me é possível conceber que aquela que se faz representante do grupo hoje majoritário vá concordar em compartilhar nossas ideias porque a princípio, e esta disputa no PED nos fez ver isto com mais clareza, suas atitudes são de desrespeito às minorias, de aniquilamento do contraditório – e por isto mesmo há muito não temos atividades partidárias -, e de imposição de sua visão de mundo sobre as subjetividades das demais companheiras e dos demais companheiros.

Procuramos no Estado do Rio de Janeiro e encontramos eco do nosso pensamento no atual candidato credenciado ao segundo turno do PED estadual Washington Quaquá e sua companheira Rosangela Zeidan, provável candidata a deputada estadual e no companheiro Wadih Damous, provável candidato a deputado federal. É possível que o grupo Ação Crítica acolha estas candidaturas na cidade.

Do mesmo modo pensamos que 2015 será o ano da nossa afirmação. Vamos escolher entre nós um possível candidato a prefeito e vamos disputar as prévias do partido. Este é o pensamento hoje. Com as prévias acreditamos numa mobilização ainda maior de todos os filiados. Até lá temos o dever de formar nossa militância de modo a entenderem que somente com a livre escolha, sem a pressão da corrupção, do assédio moral e das ameaças verbais, podemos ser verdadeiramente livres para tomar as decisões mais acertadas de acordo com nosso pensamento ideológico.

Conclamo as companheiras e companheiros que comungam do pensamento político da Ação Crítica a caminharem juntos pelo Partido dos Trabalhadores. Somente com a mobilização das filiadas e filiados podemos ter um partido crítico, ético e atuante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: