• Cientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”

    No Blog da Cidadania

    O cientista político Alberto Carlos Almeida é autor do livro “A Cabeça do Brasileiro” (Editora Record, 2007), que possui uma pesquisa reveladora e dados estatísticos de excepcional amplitude a respeito do perfil do brasileiro. Almeida é professor da Universidade Federal Fluminense.

    Publicou os livros “Por que Lula?” (Editora Record, 2006); “Como são Feitas as Pesquisas Eleitorais e de Opinião” (Editora FGV, 2002); e “Presidencialismo, Parlamentarismo e Crise Política no Brasil” (Eduff, 1998).

    Alberto Carlos Almeida possui doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ; foi pesquisador visitante na The London School of Economics; e coordenou as pesquisas eleitorais e de opinião do DataUff entre 1996 e 2002 e da Fundação Getúlio Vargas entre 2002 e 2005.

    Quer ler mais? Clique aquiCientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”


  • EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY

    O Cafezinho

    Por Mariana Noviello

    Dilma Rousseff esteve no Reino Unido na semana passada onde ela participou de um evento acadêmico o Brazil UK Forum, organizado pelos estudantes das prestigiadas universidades de Oxford e LSE, e também conversou com a mídia, mulheres na academia e na política.

    Talvez de maior relevância tenha sido o encontro de Dilma com a alta cúpula do Labour Party (Partido Trabalhista Britânico).

    Parlamentares trabalhistas não só prestaram solidariedade à Presidenta em relação ao impeachment e a Lula, mas também se mostraram preocupados com a democracia no Brasil.

    Emily Thornberry, portavoz do Partido em assuntos internacionais, twitou: “Hoje, tive a honra de me encontrar com Dilma Rousseff, ex-presidenta do Brasil. Discutimos como a democracia em seu país está comprometida”. EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY


  • O que Temer não disse sobre os 2 anos de governo

    GNN Notícias

    [...] A cerimônia teve início às 15h no Salão Nobre do Palácio do Planalto, mas antes mesmo já foi marcada por polêmicas. Após o deslize do título "O Brasil voltou, 20 anos em 2", e a repercussão negativa, o convite para ministros e autoridades veio com outra nomenclatura: "Maio/2016-Maio/2018: o Brasil voltou".

    Ostentou de maneira exacerbada que houve uma queda na inflação e redução da taxa de juros. Juntou os números para preparar a cartilha "Avançamos - 2 anos de vitórias na vida de cada brasileiro", que foi o período de sua atuação desde que assumiu com a derrubada da presidente eleita Dilma Rousseff.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 798 outros seguidores

  • Recomendo leitura

Queimados perde politicamente

Estou triste, profundamente triste com a minha adorável cidade Queimados.

Tinha tudo para ficar feliz considerando que o PT, o partido ao qual sou filiado desde 1985, tem a possibilidade de refazer sua cadeira na Câmara Municipal e fazer a vice prefeita Marcia Teixeira, esposa do deputado estadual Zaqueu Teixeira.

Que coisa né?!

Acontece que o atual prefeito Max Lemos (PMDB) conseguiu fazer com que 23 partidos se tornassem seu aliado nestas eleições. O PT na majoritária e todos os principais partidos na proporcional. PDT, PSDB, DEM, PP, PSB, PTN, PRB, PSL, PRTB, PSD, PC do B, PPS, PV, PSC, PTB, PRP, PRONA, PTC, PT do B e PHS estão num bolo doido que me deixou muito preocupado.

No passado Max já foi muito violentado em sua dignidade pelo próprio PT. Nisso quero fazer um mea culpa e quero pedir licença a vocês para isto.

Quando Queimados se emancipou o PT tinha uma candidatura e o cara era um líder. Algumas pessoas orbitavam cegamente em torno dele. Embora eu fosse uma oposição à ele, tinha que reconhecer que ele era o mais habilitado para ser candidato com reais condições de ser eleito.  Naquela ocasião Max também era candidato. Nosso candidato apresentou-se ao partido com uma cópia de uma reportagem que dizia ser Max Lemos um dos “fraudadores” do INSS. Com aquela reportagem nosso candidato majoritário faz o partido aprovar uma ação de divulgar abertamente aquela notícia com o real intuito de desmoralizar a candidatura Max e torná-lo inelegível, se não judicialmente, pelo menos pelo repúdio popular.

Conseguiu!

Naquela ocasião tornou-se prefeito Jorge César Pereira, ou Dr. Jorge, como era conhecido.

Este também teve uma carta desmoralizadora divulgada pelo candidato majoritário do PT. Esta carta não foi aprovada pelo partido, mas já era tarde, já que ela tinha sido divulgada pela vontade pessoal do nosso candidato.

Àquele líder e o PT saímos às ruas para dizer que Max era um ladrão que roubava as idosas na porta do INSS. Depois das prisões da advogada Georgina de Freitas e do juiz Nicolau dos Santos Neto, concluí que aquelas acusações eram factóides fabricados para derrubar o candidato Max.

Ele é uma boa pessoa, mas tem uma visão administrativa centrada na figura do gestor adotando um modelo tradicional de gestão organizacional que privilegia a figura carismática e centralizadora. Como o que tem feito não tem uma visibilidade percebida pela população está obrigado a dizer todos os dias o que vem fazendo e, ainda assim, tem uma rejeição assustadora. O fato de falar ininterruptamente sem se permitir ouvir faz dele uma pessoa singular provocando mais desconfiança que simpatia.

No PT achamos conveniente aceitar a proposta para lançar Márcia Teixeira candidata a vice na chapa com Max Lemos. Aos poucos fomos conhecendo o projeto como um todo e na medida em que tomava conhecimento do tamanho e jeito do projeto fiquei profundamente preocupado.

Não há outra candidatura majoritária posta na cidade. Está por decidir um candidato do PSOL que é completamente desconhecido e por sua condição política pode ser que nem se dê ao trabalho de ser candidato. Acontece que assim Queimados será uma cidade com apenas uma candidatura posta e isso é tremendamente ruim! Sem oposição, o candidato do PMDB se apodera de um poder sem igual e a cidade não discute os principais problemas que insistem em existir entre nós. Vamos ter uma campanha com Jingle e distribuição de panfletos, nada mais.

Hoje, durante a convenção do PMDB, fiquei demoradamente pensando se todos esses partidos estarão contemplados no futuro governo. Numa cidade como Queimados que precisa de investimento em infraestrutura, modernização, industrialização e crescimento do comércio para recuperar verdadeira autonomia financeira, não me parece de bom senso tornar a prefeitura cabide de empregos. Mas qual o preço a ser pago para honrar os compromissos assumidos hoje? Maioria dos presidentes dos partidos aliados já estão com empregos na prefeitura. Será que este caminho é o mais adequado para a nossa cidade? A considerar a qualidade dos serviços prestados na saúde, na educação, nos transportes…

O que me vem à memória é sombrio, daí minha profunda tristeza.

3 Respostas

  1. companheiro,confesso q nao havia pensado por esse angulo,tens razao,onde vao colocar tanta gente ????????????

  2. Boa reflexão,me preocupa muito ter só 1 candidato,me faz lembrar que toda unânimidade é burra e que a atual administração se palta pelo apadrinhamento político e não pela capacidade técnica ou esperiência para ocupar cargos importantes

  3. O PDT se aliou, sim,ao prefeito. Mas, apesar disso, há um Vereador do PDT que estará indo às ruas independente da aliança de seu partido com o PMDB e sem mudar seu discurso de oposição. Esse Vereador é a única oposição ao prefeito e consequentemente atrairá para si os votos da rejeição. Seu nome: Davi Brasil!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: