• Cientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”

    No Blog da Cidadania

    O cientista político Alberto Carlos Almeida é autor do livro “A Cabeça do Brasileiro” (Editora Record, 2007), que possui uma pesquisa reveladora e dados estatísticos de excepcional amplitude a respeito do perfil do brasileiro. Almeida é professor da Universidade Federal Fluminense.

    Publicou os livros “Por que Lula?” (Editora Record, 2006); “Como são Feitas as Pesquisas Eleitorais e de Opinião” (Editora FGV, 2002); e “Presidencialismo, Parlamentarismo e Crise Política no Brasil” (Eduff, 1998).

    Alberto Carlos Almeida possui doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ; foi pesquisador visitante na The London School of Economics; e coordenou as pesquisas eleitorais e de opinião do DataUff entre 1996 e 2002 e da Fundação Getúlio Vargas entre 2002 e 2005.

    Quer ler mais? Clique aquiCientista político diz que candidato de Lula será favorito “rapidamente”


  • EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY

    O Cafezinho

    Por Mariana Noviello

    Dilma Rousseff esteve no Reino Unido na semana passada onde ela participou de um evento acadêmico o Brazil UK Forum, organizado pelos estudantes das prestigiadas universidades de Oxford e LSE, e também conversou com a mídia, mulheres na academia e na política.

    Talvez de maior relevância tenha sido o encontro de Dilma com a alta cúpula do Labour Party (Partido Trabalhista Britânico).

    Parlamentares trabalhistas não só prestaram solidariedade à Presidenta em relação ao impeachment e a Lula, mas também se mostraram preocupados com a democracia no Brasil.

    Emily Thornberry, portavoz do Partido em assuntos internacionais, twitou: “Hoje, tive a honra de me encontrar com Dilma Rousseff, ex-presidenta do Brasil. Discutimos como a democracia em seu país está comprometida”. EM LONDRES, DILMA É CALOROSAMENTE RECEBIDA PELO LABOUR PARTY


  • O que Temer não disse sobre os 2 anos de governo

    GNN Notícias

    [...] A cerimônia teve início às 15h no Salão Nobre do Palácio do Planalto, mas antes mesmo já foi marcada por polêmicas. Após o deslize do título "O Brasil voltou, 20 anos em 2", e a repercussão negativa, o convite para ministros e autoridades veio com outra nomenclatura: "Maio/2016-Maio/2018: o Brasil voltou".

    Ostentou de maneira exacerbada que houve uma queda na inflação e redução da taxa de juros. Juntou os números para preparar a cartilha "Avançamos - 2 anos de vitórias na vida de cada brasileiro", que foi o período de sua atuação desde que assumiu com a derrubada da presidente eleita Dilma Rousseff.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 798 outros seguidores

  • Recomendo leitura

A relação promíscua de governos com empresas privadas começam no processo eleitoral

Comentário para a Rádio Novos Rumos, 26/4/2012: 12:30h.

Boa tarde Dine Estela, Felipe, Leandro, Luiz Alonso, Zé Carlos e amigos da Rádio Novos Rumos

Estamos acompanhando com muita tristeza mais um rastro de corrupção no Rio de Janeiro. Trata-se de contratos espúrios de uma empresa com ramificações muito parecidas com as de Carlinhos Cachoeira, o megabandido de Goiás. A Locanty começou como uma pequena empresa de limpeza e chegou a prestar serviços para quase todas as prefeituras da Baixada Fluminense. O caso escabroso que está em questão se dá na Câmara Municipal de Vereadores de Duque de Caxias com o aluguel de veículos super luxuosos como o Amarok, Pajero e Hilux, e superfaturados também.

O valor de cada veículo chegava aos absurdos 6.900 reais por mês. Com o montante pago à Locanty, a Câmara Municipal poderia ter comprado um veículo para cada um dos 21 vereadores no valor de 40 mil reais, o que vem a ser um carro de qualidade e com determinado luxo. Bem, o Tribunal de Contas do Estado reprovou esse contrato e 18 dos 21 vereadores que pediram o aluguel dos veículos terão que apresentar defesa e justificativa de utilização dos veículos; se não convecerem os juízes do TCE, cada vereador poderá ter que devolver aos cofres públicos a quantia de 192,600 reais.

Mas essa relação promíscua tem origem meus amigos, no processo eleitoral que permite o financiamento privado de campanha. Quando uma grande empresa faz sua doação para os candidatos, esperam ter vantagens na relação com aqueles que foram eleitos para exercer o poder. Em economia costuma-se dizer que não existe almoço grátis. Sempre que o indivíduo opta por uma decisão ele tem que abrir mão de outras. No caso da política, quando o homem ou a mulher pública decide optar por fazer conluios para praticar peculato, abre mão da ética e da honestidade. Peter Druke, guru da administração, diz que nenhuma empresa é melhor do que o seu administrador permite; logo nenhum governo é melhor que o seu gestor permite.

Não há, meus amigos, empresário que invista 200, 300 mil numa candidatura se ele não perceber perspectivas de reaver seu investimento com lucros em 2 ou 3 anos. Este é o mal do financiamento privado das campanhas eleitorais e a locanty é doadora de generosos recursos para determinadas candidaturas.

Ou muda-se o processo eleitoral ou vamos continuar a ter que reparar erros depois de descobri-los.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: